A Diretora Geral do IAO co-participa de um painel de discussão na Conferência PEGNet de 2018, 11 de outubro, em Cotonou, Benin

IMG 1485A convite do Instituto Kiel para a Economia Mundial (Institut für Weltwirtschaft), Alemanha, a Diretora Geral do Instituto de África Ocidental (IAO), Prof. Djénéba Traoré, participou como palestrante na Conferência da Rede de Equidade e Crescimento para Redução da Pobreza (PEGNet).) realizado em Cotonou, Benin, de 11 a 12 de outubro de 2018. O evento foi coorganizado pela Escola Africana de Economia, o Instituto Kiel para a Economia Mundial (IfW), a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) em nome do Ministério Federal Alemão para a Cooperação económica e Desenvolvimento (BMZ) e apoiado pelo Banco de Desenvolvimento KfW e pela Universidade de Abomey.

Sob o tema: “Melhorar a qualidade da educação e os resultados da aprendizagem nos países em desenvolvimento”, a Conferência fez parte do Diálogo Mercator sobre asilo e migração na Europa (MEDAM, http://www.medam-migration.eu/).

O objetivo da Conferencia PEGNet 2018 era de criar uma plataforma para chamar a atenção dos principais especialistas em desenvolvimento, dos profissionais e decisores políticos para refletir sobre os determinantes da má qualidade da educação e dos resultados de aprendizagem nos países em desenvolvimento. Além disso, a conferência tentou encontrar soluções para esses problemas e responder às seguintes perguntas dos organizadores:

• Quais são as barreiras e limitações para alcançar altos níveis de educação e aprendizagem nos países em desenvolvimento?

• Que papel os governos e o setor privado podem desempenhar na melhoria da aprendizagem? A extensão da oferta educacional para o setor privado elimina esses desafios?

• O apoio financeiro depende do sucesso acadêmico?

• Como as bolsas de estudos podem ser melhor alocados para assegurar a igualdade de acesso à educação para os estudantes pobres e marginalizados?

• Como os resultados de aprendizagem podem ser melhor medidos em ambientes pobres?

• Que incentivos devem ser fornecidos para aumentar a motivação e a qualidade do ensino? Os professores devem ser regularmente treinados e testados para garantir que eles não sejam inferiores aos padrões nacionais?

• As novas abordagens pedagógicas, como tecnologias de e-learning, podem melhorar os resultados de aprendizagem dos alunos?

A mesa redonda sobre o tema: "Maximizar o desenvolvimento da migração interna no continente africano", foi realizada em 11 de outubro, durante uma sessão paralela da conferência PEGNet e co-discutida pela Diretora Geral do IAO e pelo Dr. Leander Kandilige da Universidade de Gana. A mesa redonda foi organizada pelo Instituto Kiel para a Economia Mundial e MEDAM e presidida pelo Dr. Tobias Stöhr, do Instituto Kiel. Os intercâmbios fizeram parte do Diálogo Mercator sobre asilo e migração na Europa (MEDAM).

O painel de discussão incidiu sobre a migração regional, a política de migração nos países da África Subsaariana e o papel da União Europeia.

A Prof. Djénéba Traoré apresentou uma contribuição sobre a Área de Livre Comércio ContinentalIMG E1479
Africano (ZLECA) que é o principal projeto da Agenda 2063 da União Africana. O ZLECA pretende criar um mercado único continental de bens e serviços, com livre circulação de empresários e mulheres e investimentos "e abrangerá os 55 países do continente com 1,2 mil milhões de habitantes. Deverá surgir um passaporte africano e / ou um cartão de identidade biométrico, Se o projecto for ratificado pelo número necessário de Estados-Membros, segundo a UNECA (Comissão Económica das Nações Unidas para África), esta medida impulsionaria o comércio intra-continental de forma significativa e contribuiria para o desenvolvimento económico do continente, para reforçar o empoderamento económico das mulheres africanas, para criar empregos e assim reduzir a alta taxa de desemprego e as ondas de migração juvenil para a Europa, mas deve-se ressaltar que a maioria dos migrantes africanos, aproximadamente 20 milhões de pessoas, estão na África e muitos desafios estão à frente para a implementação efectiva do ZLECA.

Antes de responder as perguntas do público, a Diretora Geral do IAO deu respostas às perguntas preliminares feitas pelo Dr. Stöhr, incluindo:

 

1. Qual seria a implementação ideal da “livre circulação” entre os signatários da CAFTA, dadas as características específicas das economias e sociedades dos participantes?

2. O que pode ser aprendido da livre circulação dentro da CEDEAO e de outros grandes blocos integrados como a União Europeia.

3. A União Europeia, que se dedica a assegurar a sua fronteira externa, tem uma influência benéfica ou prejudicial sobre os potenciais efeitos do desenvolvimento de uma política de migração regional e continental nos países africanos?

4. O que os países doadores podem fazer para apoiar a integração regional para o desenvolvimento entre os signatários e quais políticas prejudiciais devem ser evitadas?

Aqui está a apresentação em PowerPoint da Diretora Geral do IAO, intitulado: Área de Livre Comércio Continental Africana - AfCFTA: Objetivos, Desafios e Perspectivas

 

Copyright © 2012 WAI - West Africa Institute. All Rights Reserved - Designed and developed by: NOSi.