A Diretora Geral do IAO foi recebida em audiência pelo Ministro de Estado, dos Assuntos Parlamentares e da Presidência do Conselho de Ministros e Ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, Praia, 3 de abril de 2019.

aa
A Sua Excelência, Fernando Elísio Freire, Ministro de Estado, dos Assuntos Parlamentares e da Presidência do Conselho de Ministros e Ministro do Desporto, recebeu em audiência, no dia 3 de abril de 2019, a Diretora Geral do Instituto de África Ocidental (IAO), Prof. Djénéba Traoré, acompanhado pelo Sr. Renato Frederico, Subdiretor-adjunto da Secretaria Executiva do IAO.

A audiência, realizada no Gabinete do Ministro de Estado no Palácio do Governo, teve como objetivo dar uma visão geral das diversas atividades do Instituto e solicitar ao Ministro de Estado o apoio do Governo para consolidar as realizações do Instituto.

O IAO - West Africa Institute - WAI - nasceu da iniciativa do Governo de Cabo Verde, da CEDEAO, da UEMOA, da UNESCO e do Grupo Ecobank criada pelo Decreto-lei nº 22/2010 de 28 de Junho de 2010 do Governo da República de Cabo Verde

O IAO é um «think tank» dedicado à integração regional e às transformações sociais. Aprovada pela UNESCO na qualidade de instituto de categoria 2, a criação do IAO foi aprovada pela Cimeira dos Chefes de Estado da CEDEAO que teve lugar em Dezembro de 2008 em Ouagadougou (Burkina Faso) e pelo Conselho de Ministros da UEMOA de 26 de Junho de 2009 em Dakar (Senegal).

O IAO tem como missões essenciais (i) promover o conhecimento sobre a integração regional (ii) animar uma plataforma de diálogo, de encontros e trocas sobre integração regional, (iii) formar uma nova geração de elites sobre integração regional e (iv) negociar uma parceria estratégica com instituições similares.

O valor acrescentado do IAO repousa sobre dois fatores importantes: o Instituto é a única instituição de investigação na África Ocidental exclusivamente dedicada à integração regional, e é a única estrutura que trabalha numa perspetiva participativa com (i) a abertura de um debate monopolizado pelos decisores políticos, (ii) a implementação de um espaço aberto ao diálogo e trocas com todos os atores da sociedade interessadas nas questões de integração regional

No quadro da promoção do conhecimento sobre a integração regional, o IAO realiza investigações multidisciplinares e sectoriais sobre a integração regional na África Ocidental tendo em conta o contexto político, económico, social e cultural específico da região. Dá a conhecer as publicações e outros resultados existentes de investigações já realizadas nestes domínios. Suas atividades de investigação centram-se sobre políticas relativas às questões complexas levantadas pela integração regional na África Ocidental. As investigações realizadas concentram-se na elaboração de políticas, a partir de sólidos trabalhos de investigação em ciências sociais e têm como objetivo principal apoiar as Comissões da CEDEAO e da UEMOA e a União do Rio Mano nos seus esforços em matéria de integração regional. Com base em suas atividades de investigação o IAO faz recomendações estratégicas publicadas em Inglês, Francês, e Português que são divulgadas junto dos atores políticos económicos, culturais e da sociedade civil da região.

A animação de uma plataforma de diálogo se faz através da organização de conferências para debatera
diversos desafios do processo de integração regional, reunindo decisores políticos, atores económicos e investigadores. Esses debates são promovidos através de conferencias regionais e nacionais. A estes níveis, o Instituto tem um papel determinante na ultrapassagem dos desequilíbrios que existem desde há muto entre a elaboração das políticas e a sua implementação. Por outro lado, essas conferências constituem ocasião de avaliar as diferentes decisões e a implementação da política de integração regional a nível nacional (país) e regional (Comissões da CEDEAO e da UEMOA).

No que diz respeito à formação de uma nova geração de elites sobre a integração regional, as intervenções almejam o reforço das capacidades dos quadros responsáveis pela integração. A este propósito, o IAO realiza sessões de formação de alto nível a funcionários de postos elevados provenientes tanto das administrações nacionais, de instituições de integração regional e de empresas da região. O objetivo é formar futuro administradores e decisores altamente qualificados no domínio da integração regional. Esta atividade de reforço das capacidades será alargada aos parlamentares e aos membros de organizações de sociedade civil e se baseará nos documentos de recomendações estratégicas. Essas sessões de formação serão particularmente benéficas para trocas organizadas no âmbito de parcerias sul-sul que o instituto instaura nos seus diferentes projetos de investigação. Enfim, foi criado um programa de Mestrado sobre Integração Regional Africana em parceria com o Ministério de Ensino Superior, Ciência e Inovação de Cabo Verde, a universidade de Cabo Verde, os Centros de Investigação da região e de integração regional de países europeus como o UNU-CRIS e o Center for European Integration Studies (ZEI) da Universidade de Bona, Alemanha.

As áreas de investigação prioritárias do IAO são motivadas pela procura de soluções aos obstáculos institucionais, políticos, económicos, sociais e culturais do processo de integração regional. Trata-se nomeadamente de levar a cabo reflexões sobre as questões de cidadania, de governação através da qualidade das instituições e o processo de tomada de decisão, de segurança civil, alimentar, económica e financeira na região, as problemáticas do ambiente, dos recursos naturais partilhados, das novas tecnologias de informação e de comunicação, dos novos desafios económicos, etc.

As estruturas de gestão e de enquadramento do IAO são quatro: (i) o Comité Executivo composto pelos membros fundadores do Instituto que são a UNESCO a CEDEAO, a UEMOA, o Governo de Cabo Verde e o Grupo Ecobank, (ii) O Conselho de Administração composto de 20 membros que responde a várias preocupações como ser representativo dos membros fundadores de todos os Estados-membros da CEDEAO, incluir os decisores políticos , a comunidade de investigadores e os atores privados da região e terem conta a questão do género, (iii) o Conselho Científico composto por 13 membros cujo papel é elaborar o programa de atividades do IAO e garantir a qualidade das suas atividades científicas e (iv) o Secretariado Executivo do Instituto que é normalmente composto por um Diretor Geral, um Encarregado dos Programas, um Encarregado Administrativo e Financeiro, de um Encarregado de Comunicação e Publicações e dois Assistentes.

O IAO faz parte da rede mundial das politicas de integração regional criada em 2006 em Montevídeo em Urugay e mantem relações de parceria com:

• A Comissão da CEDEAO, Abuja (Nigeria);

• A Comissão da União Africana, Addis Abeba (Ethiopie);

• A Comissão da UEMOA, Ouagadougou (Burkina Faso);

• IDEA Internacional, Addis Abeba (Ethiopie);

Instituto Universitário das Nações Unidas para Integração Comparativa (UNU-CRIS) em Bruges (Bélgica);

• O Clube do Sahel e da África Ocidental da OCDE (SWAC) em Paris, França;

• Centro de Estudos de Integração Europeia (ZEI) da Universidade de Bonne (Alemanha);

• O Centro Internacional de Pesquisa para o Desenvolvimento (IDRC) em Dakar (Senegal);

• A Direção Regional de Integração do Banco Africano de Desenvolvimento em Tunis (Tunísia);

• O Conselho para o Desenvolvimento da Pesquisa em Ciências Sociais na África (CODESRIA) em Dakar (Senegal);

• Instituto Africano de Desenvolvimento e Planeamento (IDEP), Dakar, Senegal;

• O Programa do Novo Ciclo de Pós-Graduação (NPTCI) em Ouagadougou, Burkina Faso;

• A Universidade de Coimbra, Portugal;

• O Consortium RISC;

• A REPAOC;

• etc.

As informações sobre o IAO e suas atividades de investigação podem ser obtidas via os links abaixo nas três línguas de trabalho do Instituto (francês/inglês/português).

1. Site da WAI: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

2. Publicações do IAO «Análises Críticas e Estratégias de Acões» (CAAS).

3. Documentos do IAO-ZEI.

4. Observador de Integração Regional (RIO).

5. Boletins do IAO.

6. Os vários relatórios (Conselho Científico / Relatórios Anuais / Seminário de Formação) e Decisões sobre o IAO.

A Prof. Djénéba Traoré expressou a sua profunda gratidão ao Governo da República de Cabo Verde pelo apoio técnico e financeiro que presta ao IAO como parte da implementação do seu programa de atividades.

No final da audiência, Sua Excelência, Fernando Elísio Freire, Ministro de Estado, dos Assuntos Parlamentares e da Presidência do Conselho de Ministros e Ministro do Desporto, garantiu a Diretora Geral do IAO que o Governo continuará a apoiar o Instituto como parte de suas atividades em andamento.

Copyright © 2012 WAI - West Africa Institute. All Rights Reserved - Designed and developed by: NOSi.